Menopausa – Sociedade Portuguesa de Menopausa

História da Sociedade Portuguesa da Menopausa Conheça a história da Sociedade Portuguesa de Menopausa.

História da SPM

A Sociedade Portuguesa de Menopausa foi fundada por escritura pública a 9 de Junho de 1995, cujo Artigo 3º passo a citar:

1. A Fundação tem por objectivo o estudo e informação em Portugal de todos os aspectos ligados à Menopausa, junto da população, em colaboração com todas as instâncias da Saúde. A Fundação desenvolverá um conjunto de conselhos e atitudes a adoptar, para enfrentar os problemas clínicos, psicológicos e sociais da população nesta fase, com o objectivo de melhorar a sua qualidade de vida. Promoverá a Solidariedade social através da investigação, estudo e informação de todos os aspectos ligados à Menopausa e Andropausa ( saúde física, comportamental, e mental-afectiva e/ou cognitiva) que, de acordo com as regras vigentes internacionalmente, terão de ser da mais alta qualidade e do maior rigor, junto da população feminina e masculina, em colaboração com todas as instâncias da Saúde e Sociais. A Fundação desenvolverá todas as acções necessárias a fim de divulgar um conjunto de conselhos e atitudes a adoptar para enfrentar os problemas clínicos, psicológicos e sociais das mulheres e dos homens nesta fase, com o objectivo da prevenção e a terapêutica adequada para melhorar a sua qualidade de vida.

2. A Fundação é instituída com o duplo objectivo de FOMENTAR a INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA (com prioridade para Medicina), e AUMENTAR a SOLIDARIEDADE e ECONOMIA SOCIAL (através de trabalhos que simultaneamente sirvam ambas e por via duma financiem a outra, na medida em que tanto a uma como a outra são os mais seguros garantes de progresso e melhoria da qualidade de vida). Tem por fim:

a)- Propor, desenvolver, implementar e apoiar quaisquer projectos que correspondam com as suas finalidades;

b)- Apoiar e criar, se necessário for, Institutos, Associações, Ligas ou outras entidades, destinadas a prosseguir os seus objectivos;

c)- Difundir por todos os meios ao seu alcance a sua existência e actividade, suscitando o interesse público pelas suas actividades;

d)- Obter apoio financeiro, e colaboração benemérita, estimulando junto das pessoas ou entidades públicas e/ou privadas, contribuições financeiras ou de outra espécie;

e)- Estabelecer relações com entidades nacionais ou estrangeiras que se dediquem a fins semelhantes ou complementares;

f)- A melhoria do exercício da medicina clínica, da investigação e do ensino, e das condições em que tal exercício é feito, nomeadamente através de: dotação de equipamentos, compra e publicação de revistas e livros, pagamento de bolsas de estudos para investigadores, viagens, estágios, participações em congressos e reuniões científicas (médicas ou não), facultando todos os meios que à Fundação pareçam adequados para promover os seus fins;

g)- Promoção e criação de centros e serviços de diagnóstico, tratamento e/ou investigação (Institutos, etc.), em qualquer parte do país (relacionados com a Menopausa e Andropausa). Tais centros e serviços destinam-se a supris as carências e deficiências que existam.

3. A intervenção da Fundação compreende duas vertentes distintas:

a)- A informação da comunidade, em todos os seus grupos e classes, tanto em geral como em relação a populações específicas;

b)- A intervenção activa, face aos fenómenos que quer prevenir ou combater, o que envolve uma atitude participativa dos seus membros.